Objectivos de aprendizagem

  • Distinguir entre sono REM e não-REM
  • Descrever as fases do sono

O sono não é um estado de ser uniforme. Em vez disso, o sono é composto por várias fases diferentes que podem ser diferenciadas umas das outras pelos padrões de atividade das ondas cerebrais que ocorrem durante cada fase. Estas alterações na atividade das ondas cerebrais podem ser visualizadas utilizando o EEG e distinguem-se umas das outras tanto pela frequência como pela amplitude das ondas cerebrais. O sono pode ser dividido em doisO sono de movimento rápido dos olhos (REM) caracteriza-se por movimentos rápidos dos olhos sob pálpebras fechadas. As ondas cerebrais durante o sono REM são muito semelhantes às ondas cerebrais durante a vigília. Em contrapartida, o sono não REM (NREM) subdivide-se em três fases que se distinguem entre si e da vigília por padrões característicos deAs três primeiras fases do sono são o sono NREM, enquanto a quarta e última fase do sono é o sono REM. Nesta secção, iremos analisar cada uma destas fases do sono e os padrões de atividade das ondas cerebrais que lhes estão associados.

[Os psicólogos identificaram originalmente quatro fases do sono não-REM, mas estas foram revistas em 2008, resultando em apenas três fases distintas do sono NREM. Verá que a fase 3 do sono NREM é por vezes apresentada como fase 3 e fase 4 em vários textos].

Fases do sono NREM

A primeira fase do sono NREM é conhecida como fase 1 do sono. A fase 1 do sono é uma fase de transição que ocorre entre a vigília e o sono, o período durante o qual adormecemos. Durante este período, há um abrandamento das taxas de respiração e de batimentos cardíacos. Além disso, a fase 1 do sono envolve uma diminuição acentuada da tensão muscular geral e da temperatura corporal central.

Em termos de atividade das ondas cerebrais, a fase 1 do sono está associada às ondas alfa e teta. A parte inicial da fase 1 do sono produz ondas alfa, que são padrões de atividade eléctrica (ondas) de amplitude elevada e frequência relativamente baixa (8-13 Hz) que se sincronizam. Este padrão de atividade das ondas cerebrais assemelha-se ao de alguém que está muito relaxado, mas acordado.As ondas teta são ondas cerebrais de frequência ainda mais baixa (4-7 Hz) e de maior amplitude do que as ondas alfa. É relativamente fácil acordar alguém da fase 1 do sono; de facto, as pessoas referem frequentemente que não estavam a dormir se forem acordadas durante a fase 1 do sono.

Figura 1 A atividade das ondas cerebrais muda drasticamente ao longo das diferentes fases do sono.

Quando passamos para a fase 2 do sono, o corpo entra num estado de relaxamento profundo. As ondas teta continuam a dominar a atividade do cérebro, mas são interrompidas por breves explosões de atividade conhecidas como fusos do sono (Figura 3). Um fuso do sono é uma explosão rápida de ondas cerebrais de frequência mais elevada que pode ser importante para a aprendizagem e a memória (Fogel & Smith, 2011; Poe, Walsh, & Bjorness, 2010).Além disso, o aparecimento de complexos K está frequentemente associado à fase 2 do sono. Um complexo K é um padrão de atividade cerebral de amplitude muito elevada que pode, em alguns casos, ocorrer em resposta a estímulos ambientais. Assim, os complexos K podem servir de ponte para níveis mais elevados de excitação em resposta ao que se passa no nosso ambiente (Halász, 1993; Steriade & Amzica, 1998).

Figura 3 A fase 2 do sono é caracterizada pelo aparecimento de fusos do sono e complexos K.

A fase 3 do sono é muitas vezes referida como sono profundo ou sono de ondas lentas, porque estas fases são caracterizadas por ondas delta de baixa frequência (menos de 3 Hz) e alta amplitude (Figura 4). Durante este período, o ritmo cardíaco e a respiração de um indivíduo abrandam drasticamente. É muito mais difícil acordar alguém do sono durante a fase 3 do que durante as fases anteriores. Curiosamente, os indivíduos que têmníveis aumentados de atividade das ondas cerebrais alfa (mais frequentemente associadas à vigília e à transição para a fase 1 do sono) durante a fase 3 referem frequentemente que não se sentem revigorados ao acordar, independentemente do tempo que dormiram (Stone, Taylor, McCrae, Kalsekar, & Lichstein, 2008).

Figura 4 As ondas delta, de baixa frequência e elevada amplitude, caracterizam a fase 3 do sono de ondas lentas.

Experimentar

Sono REM

Como já foi referido, o sono REM é marcado por movimentos rápidos dos olhos. As ondas cerebrais associadas a esta fase do sono são muito semelhantes às observadas quando uma pessoa está acordada, como mostra a Figura 5, e é neste período do sono que ocorre o sonho. Está também associado à paralisia dos sistemas musculares do corpo, com exceção dos que fazem a circulação e a respiraçãoPor conseguinte, não ocorre qualquer movimento dos músculos voluntários durante o sono REM num indivíduo normal; o sono REM é muitas vezes referido como sono paradoxal devido a esta combinação de elevada atividade cerebral e falta de tónus muscular. Tal como o sono NREM, o sono REM tem sido implicado em vários aspectos da aprendizagem e da memória (Wagner, Gais, & Born, 2001), embora haja desacordo no seio da comunidade científicaA comunidade sobre a importância do sono NREM e REM para a aprendizagem e memória normais (Siegel, 2001).

Figura 5 As ondas cerebrais associadas ao sono REM, delineadas na caixa vermelha, são muito semelhantes às observadas durante a vigília.

Se as pessoas forem privadas do sono REM e depois forem autorizadas a dormir sem perturbações, passarão mais tempo em sono REM, o que parece ser um esforço para recuperar o tempo perdido em REM. Este fenómeno é conhecido como "REM rebound" e sugere que o sono REM também é regulado homeostaticamente. Para além do papel que o sono REM pode desempenhar em processos relacionados com a aprendizagem e a memória, o sono REMNesses casos, o rebote do sono REM pode realmente representar uma resposta adaptativa ao estresse em indivíduos não deprimidos, suprimindo a saliência emocional de eventos aversivos que ocorreram na vigília (Suchecki, Tiba, & Machado, 2012). A privação do sono em geral está associada a uma série de consequências negativas (Brown,2012).

Figura 6 Este hipnograma ilustra a forma como um indivíduo passa pelas várias fases do sono. O sono NREM mais profundo ocorre no início da noite, enquanto a duração do sono REM aumenta à medida que a noite avança.

Experimentar

Pensar bem

Os investigadores acreditam que uma função importante do sono é facilitar a aprendizagem e a memória. Como é que saber isto o ajuda nos seus estudos universitários? Que mudanças poderia fazer nos seus hábitos de estudo e de sono para maximizar o seu domínio do material abordado nas aulas?

Glossário

onda alfa: tipo de onda cerebral de frequência relativamente baixa e amplitude relativamente elevada que se torna sincronizada; caraterística do início da fase 1 do sono onda delta: tipo de onda cerebral de baixa frequência e alta amplitude, caraterística da fase 3 do sono Complexo K: padrão de amplitude muito elevada da atividade cerebral associada à fase 2 do sono que pode ocorrer em resposta a estímulos ambientais não-REM (NREM): período de sono fora dos períodos de sono de movimento rápido dos olhos (REM) sono de movimento rápido dos olhos (REM): período de sono caracterizado por ondas cerebrais muito semelhantes às da vigília e por movimentos rápidos dos olhos sob as pálpebras fechadas fuso de sono: explosão rápida de ondas cerebrais de alta frequência durante a fase 2 do sono que pode ser importante para a aprendizagem e a memória fase 1 do sono: primeira fase do sono; fase de transição que ocorre entre a vigília e o sono; período durante o qual uma pessoa adormece fase 2 do sono: segunda fase do sono; o corpo entra em relaxamento profundo; caracterizado pelo aparecimento de fusos do sono fase 3 do sono: terceira fase do sono; sono profundo caracterizado por ondas delta de baixa frequência e elevada amplitude onda teta: tipo de onda cerebral de baixa frequência e baixa amplitude, caraterística do final da fase 1 do sono

Contribuir!

Tem alguma ideia para melhorar este conteúdo? Gostaríamos de receber a sua opinião.

Melhorar esta páginaSaber mais

Rolar para o topo